Dicas e Roteiros

Travessia – Caminho da Luz


Considerado o “Santiago de Compostela” brasileiro, o Caminho da Luz é uma rota de peregrinação que percorre cerca de 195 km no leste do estado de Minas Gerais, com início na cidade de Tombos e término no Pico da Bandeira, na cidade de Alto Caparaó. Uma organização chamada Abraluz (Associação Brasileira dos Amigos do Caminho da Luz) administra o percurso implantado em 2001, cuidando do credenciamento dos caminhantes, sinalização da rota e demais detalhes.

Peregrinação religiosa, ecológica e histórica, o roteiro passa por dentro de várias propriedades particulares, e por isso é recomendado o credenciamento de quem pretende percorrê-lo, que pode ser feito na cidade de Tombos. Algumas operadoras de turismo são credenciadas à Abraluz e oferecem pacotes fechados. Assim como em Santiago de Compostela, o caminhante recebe sua credencial, que é carimbada nos locais de pernoite. Apesar disso, é possível fazer o caminho sozinho já que todo o percurso é sinalizado e os moradores ao longo do roteiro sempre estão prontos para atender o caminhante.

Leva-se, em geral, sete dias para se completar a caminhada, mas o percurso também pode ser feito de bicicleta ou, ainda, a cavalo. No caminho a paisagem é composta por inúmeras cachoeiras, vales silenciosos, fazendas centenárias, florestas, escarpas montanhosas e outros santuários culturais e ecológicos. Vale destacar belezas como o Santuário da Pedra Santa, Água Santa, Cordilheira da Montanha Sagrada do Caparaó, Águas do Carfanaum, Pedra Dourada, Cachoeira de Tombos, Serras de Caiana e dos Cristais e jardins floridos de Espera Feliz, com sua fonte a esperar o caminhante para dar-lhe da mesma água que os tropeiros bebiam no século XVIII.

Segundo o indigenista Itatuitin Ruas, filho de criação do Marechal Rondon, a séculos atrás diversas tribos vindas de regiões como o sul da Bahia, o litoral fluminense e a Zona da Mata Mineira se reuniam numa peregrinação rumo à Serra do Caparaó. Líderes religiosos dos Goitacazes, Puri-colorados, Guaicurus, e Tamoios seguiam num ritual de purificação pelo Caminho de Ianderu, o Caminho do Filho de Deus, para encontrar o Deus Rudá, provedor das forças da natureza. A divindade habitava a montanha sagrada, na Terra dos Sem Males, o , ponto final da peregrinação. Há quem acredite que não só naquela época, mas até hoje, o Caminho é carregado por uma magia que seduz aqueles que o percorrem.

O início da caminhada é na base da Cachoeira de Tombos, a 5ª maior em volume de queda d’água do país, situada na divisa de Minas Gerais com o Rio de Janeiro. O município mineiro conta com vários monumentos históricos, além de ter ao redor uma das mais expressivas reservas da Mata Atlântica da região. Ainda neste primeiro dia, o caminhante passará pela Gruta da Pedra Santa, em Catuné, passando pela Mata do Banco, riachos cristalinos e colinas com belíssimos visuais.

No segundo dia, o destino é a Pedra Dourada, que tem formato semelhante à Pedra da Gávea, no Rio de Janeiro. No percurso, passa-se pelo Vale do Silêncio, que conta com belíssimo visual das montanhas, pelo Distrito de Água Santa e pelo Alto da Jacutinga (com 1.058 metros de altitude), onde se inicia uma dura descida de dois dias até Carangola. Até o final do percurso, nos dias seguintes, mais cachoeiras, algumas montanhas (como a Pedra do Lagarto), grutas, fazendas históricas, e muitas histórias ligadas às crendices populares e tradições locais. Aliás, tal a quantidade de nascentes, fontes, rios e cachoeiras que seria apropriado chamar a travessia de “Caminho das Águas”.

E para finalizar, chega-se à cidade de Caparaó, que dá acesso ao Pico da Bandeira. Subir o pico ou não é uma opção do caminhante, mas aqueles que sobem com certeza encerram o trajeto de forma muito especial.

Distância entre os pontos de pernoite

R. Tombos-Catuné: 24.700 m. Catuné-Pedra Dourada: 23.250 m. Pedra Dourada-Faria Lemos: 25.200 m. Faria Lemos-Carangola: 22.850 m. Carangola-Espera Feliz: por Ernestina 32.950 m, pela Serra de Caiana 25.650 m. Espera Feliz-Caparaó: 20.120 m. Caparaó-Alto Caparaó: 13.830 m. Alto Caparaó-Pico da Bandeira: 18.100 m.

Algumas dicas

– Para ser um caminhante oficial, basta fazer a inscrição no Hotel Serpa em Tombos (início do caminho), telefone (32) 3751 1195, pagar a taxa de inscrição no valor de R$ 120,00 (em março/2018) que dará direito ao caminhante receber credencial, certificado, camiseta, cajado e o livro “Caminho da Luz, o caminho do Brasil”, com informações úteis para o percurso.

– Durante todo o percurso a credencial será carimbada, demonstrando que as várias etapas foram vencidas. Após concluir o Caminho, o caminhante recebe o Certificado de Caminhante da Luz, em Alto Caparaó. O certificado é encontrado na Pousada Serra Azul

– O custo médio diário para alimentação e pernoite de quem percorre fica entre R$ 30 e R$ 60, dependendo do local da hospedagem. Para quem vai subir o Pico da Bandeira, deve-se incluir os custos de entrada, subida de jipe e pernoites no parque.

– A melhor época para realizar esta travessia é no outono/inverno, quando as temperaturas estão mais amenas e o sol já não está tão forte. No entanto, durante todo o ano há pessoas fazendo o percurso.

– Há locais para pernoite e refeição durante todo o percurso. Por isso, não é necessário carregar material de camping, a não ser que seja uma opção de quem vai fazer o caminho.

– No caminho, só há sinal de celular em cerca de 50% do percurso, especialmente nos altos das montanhas.

– O percurso passa pelos seguintes municípios, distritos e comunidades mineiras: Catuné, Balneário da Igrejinha, Lombo do Burro, Água Santa, Jacutinga, Pedra Dourada, Cafarnaum, Faria Lemos, Fazenda das Palmeiras, Carangola, Parada General, Ernestina, Caiana, Espera Feliz, Quiçe, Pedra Menina, Caparaó e Alto Caparaó, terminando no Pico da Bandeira.

Caminho da Luz com Trilhas & Rumos

Por ser uma caminhada longa, a Trilhas & Rumos recomenda seus equipamentos mais técnicos e confortáveis, para que você possa aproveitá-la melhor. No entanto, esta caminhada não exige carregar muito peso, pois normalmente os pernoites são feitos em pousadas ou hotéis.

Uma boa mochila é garante o conforto da caminhada. Uma boa opção são os modelos CramponTech 77 e Crampon Tech 48. A primeira, para o peregrino que precisa de mais espaço. A segunda é, provavelmente, o tamanho ideal para aqueles que só levarão o mínimo necessário. Ambas são muito confortáveis, oferecem acolchoamento reforçado tanto nas costas quanto na barrigueira, regulagens nas alças e acesso pelo fundo.

Lembramos também que, para o Caminho da Luz, será necessário levar Cantil, Anorak e um calçado adequado, já devidamente amaciado, devendo ser usado por pelo menos um mês antes da viagem, para que se adapte ao contorno dos pés, prevenindo diversos problemas durante a caminhada.

Dependendo da época do ano em que se faça o Caminho, é importante ter em mãos um vestuário que suporte chuvas imprevistas, como o Abrigo Anorak Storm ou o Abrigo de Tempo Anorak Selado. Para segurar o vento sugerimos o Corta-vento Minuano, que é muito leve e compacto e indispensável para ter sempre no fundo da mochila.

Outra boa opção de vestuário é a camisa Confortech, que pode ser usada isoladamente ou em conjunto com casacos. Também é recomendável levar um kit de primeiros socorros, como o Estojo SOS da Trilhas & Rumos, ideal para guardar bandagens, esparadrapo e curativos.

Saiba mais sobre o Caminho da Luz na internet:

www.caminhodaluz.org.br

pt.wikipedia.org/wiki/Caminho_da_Luz


Compartilhe:

Endereço: Rua Fernando Luz Filho, 112 - Teresópolis/RJ - CEP: 25954-195 (Não temos loja de fábrica) - CNPJ: 28.242.576/0001-84
2021 © Trilhas & Rumos - Todos os direitos reservados

Desenvolvimento: Otmiza Agência Digital