Dicas e Roteiros

Pedra do Baú – SP


Localizada no município de São Bento do Sapucaí (SP), a Pedra do Baú é uma formação rochosa belíssima que encanta todos que a visitam, especialmente os escaladores. Faz parte do Complexo do Baú, formado pelas formações rochosas Bauzinho (1.760 m), Ana Chata (1.670 m), e a própria Pedra do Baú (1.950 m). Localizada em plena Serra da Mantiqueira, de seu cume se avista, de um lado, boa parte da serra de Campos do Jordão, e do outro as lindas montanhas de Minas Gerais.

As pedras que formam o complexo do Baú são visitadas por um grande número de turistas e também por escaladores profissionais e amadores. Durante os meses de maio a setembro a região, que fica a 21km da charmosa Campos do Jordão, oferece um clima excelente para a prática da escalada em rocha e uma infinidade de vias. A Pedra do Baú abriga algumas das mais importantes rotas de escalada esportiva e também de longa duração (conhecidas como big walls) do país. Tem paredes para escalar de até 400 metros. O Manual de escaladas e Boulders – Pedra do Baú e Sul de Minas, escrito pelo escalador Eliseu Frechou, apresenta as vias da região com detalhes.

Aos que buscam um programa mais leve, o Bauzinho é a melhor opção já que a rocha é acessível a qualquer pessoa, sem grande esforço físico, com uma pequena caminhada de 10 minutos (a partir do estacionamento). Do cume é possível avistar a Pedra do Baú, apontada bem de frente, com seu grande paredão rochoso. Belíssima vista.

Entretanto, para acessar o cume da Pedra do Baú andando é necessário fazer uma caminhada de aproximadamente uma hora, pela face norte da Pedra. Depois de uma trilha bem marcada, o visitante encara no final escadas metálicas instaladas na pedra,com cerca de 600 degraus feitos de grampos cravados na rocha, bem verticais, exigindo disposição e coragem. Tanto na caminhada da Pedra do Baú, quanto para as escaladas, recomenda-se ir com guias que conheçam o caminho e que ofereçam equipamentos e instruções adequadas, para que as atividades sejam feitas com segurança.

Ela foi escalada pela primeira vez em 1940, pelos irmãos João e Antônio Teixeira de Sousa, conhecidos por irmãos Cortez. Dois anos depois, o empresário Luís Dumont Vilares patrocinou a construção das duas primeiras vias de acesso à pedra (as conhecidas escadinhas de ferro), na face sul, lado do bairro do Baú, São Bento do Sapucaí, e na face norte, lado de São Bento do Sapucaí. Algum tempo depois foi construído o primeiro abrigo de montanha do Brasil, no topo da Pedra, abrigo este que não existe mais (pode-se ver apenas suas fundações), alvo de vandalismos seguidos ao longo dos anos.

A Pedra do Baú é um dos pontos mais procurados por montanhistas que buscam conhecer as belezas da Serra da Mantiqueira, mas ela não é o único atrativo de São Bento do Sapucaí. Quem não tem medo de água fria pode se aventurar na Cachoeira do Toldi, que tem uma queda de 70 metros de altura. Além de escaladores, hoje a região é também frequentada por aqueles que gostam de paraglider, asa-delta, caminhadas e mountain bike.
Nessa temporada de inverno, estão programadas competições de mountain bike e de corrida nas montanhas. A prefeitura estima que São Bento do Sapucaí receba, anualmente, entre 80 mil e 100 mil turistas.

Como chegar

Campos de Jordão fica a cerca de 170 km da cidade de São Paulo e 350 km da capital do Rio de Janeiro. De lá, o caminho é bem tranquilo de carrro, até o local que dá acesso ao Complexo do Baú. São 21 km de distância pela Estrada da Campista, sendo apenas 10 Km asfaltados.

Do centro turístico da cidade, siga as placas a partir do Obelisco de Jaguaribe, em frente à Padaria Roma. Faça o contorno à esquerda em frente ao Supermercado Roma, seguindo sentido a Fábrica de Chocolates Araucária. Passando a ponte, localizada próximo ao Estádio Municipal, siga a rua à esquerda, que já é a Estrada da Campista. Nesta estrada há placas que indicam o caminho que leva até a Pedra do Baú.

Baú com Trilhas & Rumos

Como a principal atividade na Pedra do Baú é a escalada, é fundamental ter uma mochila mais técnica para realizar a atividade. A Alpina 43 é uma excelente opção. Possui lugar para colocar a corda e mosquetões, na parte traseira, e seu volume compacto, sem bolsos laterais, permite maior agilidade na rocha ou mata fechada. Também é boa para uso em caminhadas, pois possibilita colocar materiais como bastões de caminhada e isolante térmico do lado de fora.

O Abrigo Anorak Storm é uma ótima companhia para os dias de chuva ou vento. Com impermeabilização de resistência a 10.000 mm de coluna d’água e costuras seladas, possui capuz embutido na gola e sistema de ventilação que evita a condensação.

Para os que vão acampar, uma boa dica é a barraca Super Esquilo 2/3 pessoas, que possui costuras seladas, impermeabilização reforçada, porta dupla, janelas protegidas por tela mosquiteiro e varetas em fibras. Fica bem acompanhada do saco de dormir Micro Pluma, que possui apenas 1 kg e suporta temperaturas de até 0º C (extremo), e do Isolante Térmico Matratze.

As jaquetas Trilhaswind (para homens) e Trilhasblock (para mulheres) são as melhores opções para enfrentar o frio da região. Trazem o conforto do tecido tipo Polar, e uma eficiente barreira contra o vento e a umidade. Funcionam como corta vento e abrigo térmico ao mesmo tempo, pois aquecem e permitem que o suor do corpo saia. Além disso, ocupam pouco espaço.

Saiba mais sobre a Pedra do Baú na Internet:

www.pedradobau.com.br/
www.altus.tur.br/roteiros/pedra-do-bau.php
pt.wikipedia.org/wiki/Pedra_do_Ba%C3%BA
www.femesp.org
www.camposdojordao.com.br/pedra_bau.php
www.montanhismus.com.br

Por Márcia Soares
Julho de 2010



Endereço: Rua Fernando Luz Filho, 112 - Teresópolis/RJ - CEP: 25954-195 (Não temos loja de fábrica) - CNPJ: 28.242.576/0001-84
Contato para atendimento: [email protected]
2019 © Trilhas & Rumos - Todos os direitos reservados

Desenvolvido por Otmiza Agência Digital