Dicas e Roteiros

Parque Estadual do Ibitipoca

Difícil decidir para qual lado olhar. o Parque Estadual do Ibitipoca reúne uma variedade impressionante de grutas, cânions, cachoeiras e lagoas cortando um imenso planalto com vegetação de altitude, onde apenas o vento e pássaros produzem os poucos ruídos na área. É um local para se caminhar com calma, parando para olhar em volta com freqüência, aproveitando o fato dos arbustos serem baixos e deixando a visão navegar pela distância.

Ibitipoca é um nome estranho aos nossos ouvidos, de origem controvertida, e quase certamente indígena. é administrado pelo Instituto Estadual de Florestas e fica no Sudeste de MG, a cerca de 90 km de Juiz de Fora. Dizem que o pôr-do-sol dali tem a maior variedade de tons vermelhos e azuis de toda a região, especialmente em dias mais frios, quando quase não se forma névoa no céu.

É um paraíso para os observadores de pássaros, pois dispõe de mais de 200 espécies de aves, sendo 17 endêmicas e que, pelo número reduzido de árvores de grande porte, fazem seus ninhos nas grutas de arenito espalhadas pela região ou próximos às cachoeiras.

Os lobos-guará são moradores visto com freqüência na área de camping próxima à sede do parque, sempre à procura de restos de alimentos. como são animais relativamente dóceis, rapidamente se habituam à presença humana e passam a se aventurar cada vez mais perto, revirando panelas e mochilas deixadas ao relento, um modo bem mais fácil de obter alimento do que caçar roedores e pequenos animais, sua dieta habitual. Os guardas-parque são bastante enfáticos em seus pedidos de evitar alimentá-los ou deixar comida desprotegida, pois isso terminará por deixá-los dependentes dos humanos e especialmente vulneráveis àqueles menos escrupulosos. A natureza é sábia ao manter ariscos seus animais.

Um fato curioso é a coloração das águas do parque, com um tom dourado produzido por pequenas algas que se aderem ao leito rochoso. ela, entretanto, é potável e inodora, sendo sempre uma visão contrastante em um terreno onde predominam rochas de arenito e pouca vegetação. Flui o ano todo a partir de lençóis subterrâneos, que acumulam a água caudalosa da época de chuvas (verão), sendo obviamente menos intensa nos meses secos.

Toda a área de trilhas do parque fica situada acima dos mil metros de altitude, chegando a 1.784 metros no ponto mais alto (conhecido como “lombada”). Isto deixa a água com temperatura menor do que apreciariam os mais friorentos, mas nada que um aquecimento prévio caminhando não resolva. Alguns pontos que não podem deixar de ser visitados dentro do parque: circuito das águas (Prainha, Ponte de Pedra, Cachoeira dos Macacos), a Cachoeira Janela do Céu, a cachoeirinha, a Lagoa Seca e o Pico do Pião. A Gruta das Bromélias, um dos belíssimos pontos do parque e já muito visitado, está atualmente fechada para recuperação, pois oferece risco aos visitantes. Existem pelos menos duas trilhas que circundam o parque. três dias de visita e muita disposição para caminhar é mais que suficiente para conhecer toda a área.

A estrutura do parque é bastante boa: possui centro de informações, mapas dos roteiros, informações da flora e fauna da região e possuem um pequeno auditório para exibição de um vídeo sobre o local. Mais adiante, na área de camping, existem banheiros limpos (como sempre, sem papel higiênico), bons chuveiros elétricos e locais para lavar louças e roupas. Além disso, existe a lanchonete do parque, que tem itens básicos e serve um honesto prato feito. Atualmente o parque conta também com um restaurante self-service, ao lado da área de camping.

O parque possui área de acampamento, mas não faz reservas. A ocupação é feita por ordem de chegada e o limite de ocupação é de 10 barracas de segunda a sexta (30 pessoas) e 15 barracas em sábados, domingos e feriados (45 pessoas). O valor da diária é de R$ 20 por pessoa. Na cidadezinha de Conceição de Ibitipoca, a cerca de um quilômetro da entrada do parque, é possível encontrar várias opções de camping e muitas pousadas, para todos os gostos e bolsos. Lugares para comer também não faltam na cidade.

Por conta do excesso de visitantes nos últimos anos, o parque passou a limitar o número de pessoas por dia para diminuir o impacto ambiental. Portanto, em períodos de alta temporada, é fundamental chegar cedo para não correr o risco de ficar barrado na entrada do parque. O ingresso custa R$ 5 durante a semana e R$ 10 nos finais de semana e feriados, por pessoa. Em alta temporada, o bilhete pode ser comprado não só na entrada do parque, mas também na cidade. Atualmente, o número de visitantes está limitado a 300 pessoas, de segunda a sexta-feira, e 800 por dia nos sábados, domingos e feriados. Os funcionários do parque sempre recomendam o acompanhamento de um condutor para realização das trilhas, mas não é obrigatório.

Como Chegar

Para quem viaja de ônibus, uma informação: ibitipoca recebe apenas dois ônibus por dia, que partem de Lima Duarte, 26 km de estrada de terra e com subidas íngremes, às 7:00 e 15:00 (sujeito a confirmação). E como se chega a Lima Duarte? O mais comum são ônibus partindo de Juiz de Fora.

Para quem vai de carro, é fundamental saber que Ibitipoca não tem posto de gasolina, o mais próximo fica a 26 km, em Lima Duarte. e também não tem banco. A partir de São Paulo, basta seguir pela BR-381 até o trevo de Campana, seguindo para Caxambu e Juiz de Fora. Entre para Lima Duarte via BR-267 e de lá até Conceição do Ibitipoca. Distância total: cerca de 410 km.

A partir do Rio de Janeiro, seguir pela BR-040 no sentido Juiz de Fora. Após a entrada de Juiz de Fora, entre na BR-267 para Lima Duarte e de lá para Ibitipoca. Distância total: cerca de 350 km. E para quem vai de Belo Horizonte, pegar a BR-040 na direção de Juiz de Fora. Um pouco antes de Juiz de Fora, entre na BR-267 até Lima Duarte e dali até Ibitipoca. Distância total: cerca de 330 km.

 

Ibitipoca com Trilhas & Rumos

Para quem vai visitar o parque e caminhar por suas trilhas, vale a pena estar sempre com roupas de banho e uma toalha de alta absorção, além de filtro solar, boné e óculos escuros são itens fundamentais em sua mochila que, aliás, nem precisa ser muito grande, já que as caminhadas serão sempre de um dia.

Falando em mochila, uma boa alternativa é a Crampon 32, que não é muito grande e tem bom espaço para colocar equipamentos para um dia de caminhada. Possui costas acolchoadas e ventiladas, bolso na tampa, que vem com um fecho único, facilitando o acesso ao interior da mochila, e bolsos telados e elásticos laterais para equipamentos molhados ou que precisem um acesso rápido. Ainda conta com compartimento interno específico para o Cantil Hidrat com saída para mangueira de hidratação.

Para quem gosta de caminhar com poucas coisas, o Estojo Acqua é uma excelente opção. Levíssimo, com suporte para duas Garrafas Dromedar e acolchoamento nas partes em contato com o corpo, esta pochete tem bolso interno para documentos, elástico externo para casaco ou equipamentos molhados, fitas refletivas noturnas e barrigueira em tela para melhorar a ventilação.

Outra boa sugestão de acessório é a Toalha Super Absorvente Coghlans, que absorve 10 vezes o seu peso em água, ou seja, é pelo menos três vezes mais eficiente que uma toalha comum de algodão. ao torcê-la, é possível retirar até 90% da água absorvida, deixando-a pronta para o uso.

Para os que vão acampar, uma boa opção é a barraca Bivak I Alumínio. Ela acomoda uma pessoal confortavelmente, com sua bagagem pessoal, e tem apenas 1,7 kg! Para duas pessoas a melhor alternativa é a barraca Cota 2, que pesa 3,3 kg. Com formato iglu, seu novo modelo possui duas entradas e armações marcadas com sistema de cores para facilitar a montagem.

Em tempos de frio, o Saco Mantafleece é ao mesmo tempo um cobertor, um poncho e um saco de dormir. Em tecido do tipo polar, idêntico ao usado em nossos casacos Thermotex, ele reúno boa proteção contra o frio (até +10º c) com volume pequeno. Pode ser também usado como cobertor ou forro, bastando abrir seu zíper totalmente.

Também pode ser usado como forro interno de seu saco de dormir em dias de frio extremo.

Mais informações sobre Ibitipoca na internet:

http://www.ibitipoca.tur.br/

http://www.ief.mg.gov.br/index.php?itemid=4&id=192&option=com_content&task=view

http://webventureuol.uol.com.br/destinoaventura/index.php?destino=destino_mostra&mdireito=nao&id_destinos=7&pid=

http://www.goitaca.com/lugares/parque-estadual-do-ibitipoca-mg/

http://www.descubraminas.com.br/destinosturisticos/hpg_municipio.asp?id_municipio=799

http://consciencia-textos.blogspot.com/2008/02/parque-estadual-do-ibitipoca.html

http://www.juizdeforaconvention.com.br/index.php?pagina=conteudos.php&codmaterial=67


Compartilhe:

Endereço: Rua Fernando Luz Filho, 112 - Teresópolis/RJ - CEP: 25954-195 (Não temos loja de fábrica) - CNPJ: 28.242.576/0001-84
2021 © Trilhas & Rumos - Todos os direitos reservados

Desenvolvimento: Otmiza Agência Digital