Dicas e Roteiros

Caminho do Ouro

Caminho do Ouro ou Estrada Real? Ambos os nomes estão corretos quando queremos definir o caminho que liga Paraty, no litoral do Rio de Janeiro, a Minas Gerais. Era por ele que passavam as mercadorias, as pessoas, o ouro e o diamante que vinham do interior do Brasil para serem embarcados para Portugal. Esta era uma das formas de se conseguir não só controlar e fiscalizar mas, também, cobrar tributos para o tesouro real.

O nome Estrada Real vem desta época e se refere a estes caminhos, propriedade da Coroa. Postos fiscais de controle foram espalhados ao longo do caminho e cada um tinha uma função: registros do ouro, que fiscalizavam o transporte do mesmo e cobravam o quinto; registros de entradas, que cobravam pelo tráfego de pessoas, mercadorias e animais; registros da Demarcação Diamantina, responsáveis pelo policiamento do contrabando e pela cobrança dos direitos de entrada na zona diamantífera; e contagens, que tributavam o trânsito de animais. Escolhidos a dedo, os locais de controle ficaram sempre em pontos estratégicos, como passagens entre serras, desfiladeiros e margens dos cursos de água. Nestes locais, a estrada era fechada com um portão e um cadeado.

Outra importância destas estradas fora a urbanização que ocorreu em suas margens. Povoados, vilas e arraiais foram sendo criados ao longo da estrada, organizando a população que vivia da mineração e de atividades correlatas. O caminho se tornou um dos mais significativos movimentos para a expansão do interior e integração com o litoral, se tornando fundamental na história do povoamento e da colonização de importantes regiões do Brasil. Calçada com pedra, é uma das mais bonitas trilhas do nosso país, cheia de histórias, cortando o Parque Nacional da Bocaina em seu trecho litorâneo, onde ainda podemos ver a exuberância da Mata Atlântica, muito bem preservada neste parque.

No Caminho do Ouro com Trilhas & Rumos

Por ser uma caminhada longa, a Trilhas & Rumos recomenda seus equipamentos mais técnicos e confortáveis, para que você possa aproveitá-la melhor. Uma boa opção é a cargueira CramponTech 77 Tech, principalmente para quem precisa de mais espaço. Ideal para grandes caminhadas, possui compartimento para garrafas e cantil de hidratação, e ajuste rápido da estrutura de apoio pelo Quick Fit System.

Outra alternativa é a mochila Crampon 68, que possui bolso frontal que pode ser destacado, virando uma pequena mochila de ataque. Lembramos também que será necessário saco de dormir, isolante térmico,cantil, anorak e um calçado adequado, já devidamente amaciado, devendo ser usado por pelo menos um mês antes da viagem, para que se adapte ao contorno dos pés, prevenindo diversos problemas durante a caminhada.

O saco de dormir que sugerimos é o Micro Pluma, que tem apenas 1kg. E para o isolamento térmico, uma alternativa boa é o Isolante Matratze Light, que pesa apenas 300g e possui uma face aluminizada que deve ser colocada em contato com o corpo, aumentando a proteção térmica. Pensando em segurança, é recomendável levar um kit de primeiros socorros, como o Estojo SOS da Trilhas & Rumos, ideal para guardar bandagens, esparadrapo e curativos.


Compartilhe:

Endereço: Rua Fernando Luz Filho, 112 - Teresópolis/RJ - CEP: 25954-195 (Não temos loja de fábrica) - CNPJ: 28.242.576/0001-84
2021 © Trilhas & Rumos - Todos os direitos reservados

Desenvolvimento: Otmiza Agência Digital